A rotina lhe envolve até que, um dia, você percebe que a sua visão está um tanto quanto confusa – borrada, pouco clara ou sem foco. Por vezes, o sinal pode ser apenas um aviso de que seus óculos ou lentes de contato precisam ser atualizados. No entanto, é preciso investigar o que está causando o problema. Até porque conhecer a razão por trás da situação pode ser a diferença entre experimentar o mundo em todas as suas dimensões ou não.

Confira abaixo 10 possíveis causas da visão embaçada e o que fazer com elas.

ÓCULOS OU LENTES DE CONTATO – Miopia, hipermetropia e astigmatismo são erros de refração e as causas mais comuns da visão embaçada. Eles acontecem quando a curva do olho fica no caminho da luz focando diretamente na retina – que processa os raios de luz em sinais que o cérebro consegue ler. Além de serem comuns, os erros de refração também podem ser os mais fáceis de corrigir. Na maioria dos casos, tudo o que você precisa é fazer uma visita ao oftalmologista, que irá prescrever uma receita de óculos ou lentes de contato.

A presbiopia também é um erro de refração, mas atinge a maioria das pessoas após os 40 anos. Isto significa que você tem dificuldade em se concentrar em coisas que estão próximas – como material de leitura. Se você acha que precisa segurar revistas, livros e menus mais distantes do seu rosto para ler seus conteúdos, é bem capaz que a presbiopia esteja causando sua visão embaçada. Tal como acontece com outros erros de refração, óculos “de leitura” e lentes de contato podem ajudar você a enxergar melhor.

CONJUNTIVITE – Conjuntivite é causada por vários fatores. Entre eles, os adenovírus – vírus irritantes que podem causar o resfriado comum, bronquite e dores de garganta. Embora geralmente não seja grave, a conjuntivite pode se espalhar rapidamente em escolas, ambientes de trabalho e outros locais lotados. Em geral, a conjuntivite desaparece no período de uma a duas semanas.

No entanto, recomenda-se procurar um médico para verificar a gravidade dos sintomas. Ele poderá indicar medicamentos antibióticos ou antivirais, caso seja grave. Independentemente do caso, experimente compressas com água gelada, que deve ser filtrada e fervida, ou com soro fisiológico. Colírios leves podem ajudar na irritação – peça indicação ao seu médico.

DORMIR COM LENTES – As lentes de contato podem consertar sua visão sem sobrecarregar seu rosto, mas se você não usá-las adequadamente também podem causar infecções que roubam a visão. Quando você pisca, a lente de contato se move pelo olho criando pequenos arranhões na superfície ocular. Logo, micro-organismos causadores de infecções podem ficar presos na lente e entrar nos arranhões.

Ou seja, dormir com elas é como dormir com uma placa perfeita para o cultivo de organismos que podem originar úlceras na córnea – feridas abertas que podem ofuscar a visão. Na hora de ir para a cama, retire-as. Em caso de descartáveis, jogue-as fora.

INFECÇÃO – Você não precisa usar lentes de contato para contrair infecções oculares que danificam a córnea. A ceratite por herpes, por exemplo, é uma infecção nos olhos causada pelo vírus herpes. Você pode obtê-la apenas tocando uma afta em seus lábios e, em seguida, tocando os olhos. Bactérias e fungos que se desenvolvem depois de uma lesão no olho também podem causar infecção. Tratamentos com colírios e medicamentos (como antibióticos para infecções bacterianas) costumam ajudar, mas o melhor método de proteção contra infecções oculares é a prevenção.

CATARATA – A catarata é um dos vários problemas oculares que vêm com o envelhecimento. É quando a lente situada atrás da íris (cristalino) fica embaçada e bloqueia a luz tentando alcançar a retina. Normalmente, as cataratas levam tempo para se desenvolver e não causam dor ou outros sintomas. Algumas ficam pequenas e causam poucos problemas. Aquelas que crescem e interferem na visão são frequentemente tratadas com cirurgia para remoção do cristalino opaco e substituição por uma prótese transparente (lente intraocular).

GLAUCOMA – Outra condição de visão relacionada ao avanço da idade, o glaucoma é causado normalmente por uma pressão extra no olho que danifica o nervo óptico. Assim como as cataratas, o glaucoma costuma ser lento para se desenvolver. Consultas regulares ao oftalmologista podem resultar no seu diagnóstico e tratamento adequado – que podem envolver medicamentos prescritos, cirurgias e procedimentos com laser.

DMRI – À medida que você envelhece (em especial, após os 60 anos), há um risco maior de danificar a mácula: uma área perto do centro da retina que ajuda a ver os detalhes e os objetos diretamente à sua frente. A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) resulta em perda da visão central, o que pode tornar as atividades cotidianas – como dirigir e ler – compreensivelmente desafiadoras. Não há tratamento para a DMRI precoce, embora altas doses de certas vitaminas e minerais possam retardar o dano na DMRI intermediária e tardia.

DIABETES – Se você tem diabetes tipo 1 ou tipo 2 não diagnosticada (ou que foi diagnosticada, mas não é controlada), corre o risco de sofrer de retinopatia diabética. É quando os vasos sanguíneos danificados vazam ou quando vasos sanguíneos extras crescem na parte de trás do olho e começam a sangrar. Caso tenha consciência da diabetes, injeções e cirurgias com laser podem ajudar a salvar sua visão. Certifique-se de fazer exames oftalmológicos regularmente. Controlar o açúcar no sangue também pode prevenir a retinopatia diabética.

AÇÚCAR ELEVADO NO SANGUE – Mesmo antes das complicações a longo prazo do diabetes se instalarem, o alto nível de açúcar no sangue pode fazer com que sua visão fique embaçada. Eles podem levar ao inchaço da lente, que muda a forma do olho e como ele se concentra. Normalmente, o problema dura apenas algumas horas ou dias. Se suspeitar que pode ter níveis elevados de açúcar no sangue, verifique imediatamente. O risco de ter diabetes tipo 2 é maior se você for obeso ou tiver um histórico familiar do transtorno. Outros sintomas incluem sede excessiva e frequentes idas ao banheiro para urinar.

PRESSÃO ALTA – Você provavelmente sabe que a pressão alta pode ocasionar doenças cardíacas e acidente vascular cerebral (AVC), certo? O que você pode não saber é que ela também pode causar um pequeno derrame do olho chamado oclusão da veia. Normalmente, a visão embaçada devido à oclusão da veia atinge apenas um olho de forma indolor. Os tratamentos, que incluem medicamentos anticoagulantes, devem ser administrados imediatamente para uma melhor eficácia. Mesmo assim, você pode perder um pouco da visão. Para se proteger contra a oclusão da veia, faça consultas regulares ao oftalmologista – principalmente se você tem mais de 50 anos e tem pressão alta.

Felizmente, a maioria das razões para a visão embaçada não é uma ameaça para a “janela da alma”. No entanto, há momentos em que você deve visitar uma sala de emergência ou – pelo menos – ligar para seu médico assim que possível: se sua visão mudar repentinamente e não melhorar após piscar os olhos, se sentir dor nos olhos ou se você não tem visão em uma área específica.

Fontes:
Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO)– http://www.sboportal.org.br/
Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) – http://www.cbo.net.br
National Eye Institute (NEI) – https://nei.nih.gov/
Biblioteca Virtual da Saúde | Ministério da Saúde – http://bvsms.saude.gov.br
Portal Dráuzio Varella – https://drauziovarella.uol.com.br
Associação Brasileira de Catarata e Cirurgia Refrativa (ABCCR) – https://brascrs.com.br/