Não há nada divertido em uma criança com urticária. Do dia para noite, seu filho apareceu com bolinhas vermelhas no corpo, que coçam… sem parar. Semelhantes a picadas de inseto, essas pequenas saliências logo desaparecem com a mesma velocidade que surgiram – no máximo em 24 horas. Ou seja, uma espécie de enigma a ser desvendado.

 

Ao contrário de outras doenças relacionadas à erupção cutânea – que podem ser acompanhadas por febre, tosse ou coriza –, as urticárias atingem apenas a pele. Sua aparência pode variar, dependendo da criança e da causa do problema. As urticárias podem apresentar um tom vermelho pálido ou vermelho mais escuro e parecerem como uma série de pequenas saliências – os famosos “vergões”. Inclusive, às vezes, esses vergões se fundem em placas maiores – crescendo até ao tamanho de um prato.

 

Se as urticárias ficam em uma área do corpo, geralmente isso significa que existe um gatilho específico. Provavelmente, é uma reação a algo que a criança entrou em contato. Já, quando você escuta o termo “generalizada”, os médicos estão se referindo às urticárias que se espalharam por todo o corpo. Nesse caso, elas provavelmente são causadas por uma reação a algo que foi inalado ou ingerido.

 

CAUSAS COMUNS DE URTICÁRIA – Quando uma criança pequena tem urticária, quase sempre é devido a uma alergia. Um exame físico, acompanhado pelo histórico dela, pode ajudar a confirmar. Possíveis alergias a serem observadas incluem pólen e pelos de animais. Aliás, uma criança pode tomar um grande “suspiro de ar”, inalar um deles e acabar com urticária. A resposta alérgica também pode ser uma reação a certos alimentos, medicamentos ou picadas de insetos (como abelhas, formigas e pulgas).

 

Ou pode ser o resultado de uma alergia ao contato com roupas novas, um novo sabão ou detergente. Até mesmo uma nova peça de joia com um certo tipo de metal pode ser o gatilho. Plantas venenosas também entram no ranking como possíveis vilãs. A hera venenosa, por exemplo, reage no corpo como uma forma de urticária.

 

TRATAMENTO DE URTICÁRIA – As urticárias geralmente podem ser gerenciadas em com compressas frias, pois seu principal curso de ação é tentar aliviar a coceira – e o desejo do seu filho de coçar. Procure um médico para que ele receite medicamentos para o alívio.

 

Mas, atenção: as urticárias podem levar ao angioedema, um inchaço indolor sob a pele. Isso pode se tornar sério e afetar a capacidade da criança de respirar. Se a garganta ou a língua dela inchar, se estiver chiando ou apresentando dificuldade para respirar, bem como sentindo apertar o peito, leve-a imediatamente ao Pronto Atendimento.

 

COMO IMPEDIR UMA NOVA URTICÁRIA – Infelizmente, você não pode impedir as urticárias se não souber o que as está causando. E quanto mais duram os sintomas, mais difícil será para identificar o culpado. Você pode tentar identificar o gatilho das urticárias que geralmente desaparecem em 24 horas porque a exposição era obviamente muito recente. Logo, relembre quais coisas novas seu filho teve contato.

 

Agora, se forem agudas (com duração de até seis semanas) ou crônicas (com duração superior a seis semanas, o que é extremamente raro em crianças pequenas), determinar o gatilho pode ser mais desafiador. A boa notícia é que as crianças superam algumas alergias. Por volta dos dois anos de idade, seu filho provavelmente terá tolerância a algo que desencadeou alergia nele.

 

 

Fontes:

 

Portal Dráuzio Varella – https://drauziovarella.uol.com.br

Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) – https://www.sbd.org.br/

Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI) – http://www.asbai.org.br

Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) – https://www.sbp.com.br

Portal Ministério da Saúde – http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/