Antidiabético

Medicamento genérico, Lei n° 9.787 de 1999. Registro M.S.:1.5423.0236

Indicações:
Para o tratamento oral de diabetes mellitus não insulino-dependente (Tipo 2 ou diabetes do adulto). quando os níveis de glicose não podem ser adequadamente controlados por meio de dieta alimentar, exercícios físicos e redução de peso, pode ser associado a outros antidiabéticos orais que não estimulam a secreção de insulina, pode ser associado à metformina quando os níveis glicêmicos não podem ser adequadamente controlados por meio de dieta alimentar, exercícios físicos em monoterapia e também pode ser utilizado em associação com insulina.

Apresentações:
2mg – cx. c/ 30 cprs.
4mg – cx. c/ 30 cprs.

Caixa de embarque:

cx. padrão c/ 60 und.

Contraindicações: pacientes com hipersensibilidade à glimepirida ou a outras sulfonilureias e aos demais componentes da fórmula, durante a gravidez e lactação. Não deve ser administrada para o tratamento de diabetes mellitus insulino-dependente (Tipo 1, ou seja, para o tratamento de diabéticos com história de cetoacidose). Cuidados e advertências: em situações excepcionais de estresse (como trauma, cirurgia, infecções febris) pode ocorrer uma desregulação do nível sanguíneo de glicose. Durante as primeiras semanas de tratamento, o risco da ocorrência de hipoglicemia pode estar aumentado e necessita de monitorização cuidadosa A glimepirida não deve ser administrada durante a gravidez, devido ao risco de dano à criança. Pode ocorrer diminuição do estado de alerta do paciente devido à hipoglicemia ou hiperglicemia, especialmente no início ou após alterações no tratamento, ou quando glimepirida não for ingerida regularmente, afetando, por exemplo, a habilidade em conduzir veículos ou operar máquinas. Reações adversas e interações: hipoglicemia, sinais de contrarregulação adrenérgica tais como sudorese, pele úmida e fria, ansiedade, taquicardia, hipertensão, palpitação, angina do peito e arritmias cardíacas, alteração visual temporária, como náusea, vômito, sensação de pressão ou plenitude gástrica, dor abdominal e diarreia, trombocitopenia e, em casos isolados, leucopenia, anemia hemolítica, eritrocitopenia, granulocitopenia, agranulocitose ou pancitopenia, alopecia, prurido, urticária ou erupções e ganho de peso. Deve-se evitar o uso concomitante dos seguintes medicamentos: Insulina ou outro antidiabético oral, inibidores da ECA, esteroides anabolizantes e hormônios sexuais masculinos, cloranfenicol, derivados cumarínicos, ciclofosfamidas, disopiramida, fenfluramina, feniramidol, fibratos, fluoxetina, guanetidina, ifosfamida, inibidores da MAO, miconazol, fluconazol, ácido para-aminosalicílico, fenilbutazona, azapropazona, oxifembutazona, probenecida, quinolonas, salicilatos, sulfimpirazona, claritomicina, antibióticos sulfonamídicos, tetraciclinas, tritoqualina, trofosfamida, acetazolamida, barbitúricos, corticoesteroides, diazóxido, diuréticos, epinefrina (adrenalina) e outros agentes simpatomiméticos, glucagon, laxantes, ácido nicotínico, estrogênios e progestagênios, fenotiazínicos, fenitoína, rifampicina, hormônios da tireoide. Antagonistas de receptores H2, beta-bloqueadores, clonidina e reserpina, colesevelam tanto a ingestão crônica como a aguda de álcool podem potencializar ou diminuir a ação hipoglicemiante de maneira imprevisível. Posologia: os comprimidos devem ser tomados com líquido, por via oral. Eles devem ser engolidos sem mastigar e com quantidade suficiente de água (aproximadamente ½ copo).