Antibiótico Sistêmico Simples

Medicamento genérico, Lei n° 9.787 de 1999. Registro M.S.: 1.5423.0241

Indicações: tratamento de infecções bacterianas, tais como: infecções do trato respiratório superior e inferior, incluindo sinusite, exacerbações agudas de bronquite crônica e pneumonia, infecções da pele e tecido subcutâneo, complicadas e não complicadas, tais como impetigo, abscessos, furunculose, celulite e erisipela, infecções do trato urinário, incluindo pielonefrite aguda e osteomielite.

Apresentações:
500mg – cx. c/ 07 cprs. rev.
500mg – cx. c/ 10 cprs. rev.

Caixa de embarque: cx. padrão c/ 60 und.

Contraindicações: pacientes que apresentam hipersensibilidade ao levofloxacino, a outros agentes antimicrobianos derivados das quinolonas ou a quaisquer outros componentes da formula do produto.Cuidados e advertências: O tratamento com o levofloxacino deve ser interrompido imediatamente diante do aparecimento de erupção cutânea ou qualquer outro sinal de hipersensibilidade, caso se desenvolva, sinais e sintomas de hepatite, se o paciente tem histórico conhecido de miastenia grave, com distúrbios do Sistema Nervoso Central, suspeitos ou confirmados, ou na presença de outros fatores de risco que possam predispor a convulsões ou diminuição do limiar de convulsão, ocorrer sintomas de polineuropatia axonal de nervos sensoriais ou sensomotores acometendo axônios curtos e longos resultando em parestesias, hipoestesias, disestesias e fraqueza, diarreia, deve ser evitado caso o paciente tenha histórico de prolongamento do intervalo QT, pacientes com insufiência renal é necessário o ajuste das doses, a excessiva exposição à luz solar ou à luz ultravioleta deve ser evitada, recomenda-se cuidadosa monitoração da glicose sanguínea, especialmente em pacientes diabéticos, caso o paciente apresente alterações na visão ou algum outro sintoma ocular, procurar imediatamente um oftalmologista. Reações adversas e interações: monilíase, insônia, cefaleia, tontura, dispneia, náusea, diarreia, constipação, dor abdominal, vômitos, dispepsia, erupção cutânea, prurido, vaginite, dor torácica, monilíase genital, anemia, trombocitopenia, granulocitopenia, reação alérgica, hiperglicemia, hipoglicemia, hipercalemia, ansiedade, agitação, confusão, depressão, alucinações, pesadelos, distúrbios do sono, anorexia, sonhos anormais, tremores, convulsões, parestesias, vertigem, hipertonia, hipercinesias, marcha anormal, sonolência, síncope, parada cardíaca, palpitação, taquicardia ventricular, arritmia ventricular, flebite, gastrite, estomatite, pancreatite, esofagite, gastroenterite, glossite, colite pseudomembranosa por C. difficile, função hepática anormal, enzimas hepáticas aumentadas, fosfatase alcalina aumentada, urticária, tendinite, artralgia, mialgia, dor esquelética, função renal anormal, insuficiência renal, aguda. Deve ser evitado a administração concomitante com antiácidos contendo cálcio, magnésio ou alumínio, bem como sucralfato, cátions metálicos como ferro, preparações multivitamínicas contendo zinco ou produtos que contenham qualquer uma dessas substâncias, teofilina, digoxina ou a ciclosporina, varfarina ou de seus derivados, anti-inflamatórios não-esteróidais e de derivados quinolônicos, incluindo o levofloxacino, pode aumentar o risco de estimulação do Sistema Nervoso Central e de convulsões. Algumas quinolonas, incluindo levofloxacino, podem produzir resultado falso positivo para opióides em exames de urina realizados em kits de imunoensaio. Posologia: A dose usual para pacientes adultos, com função renal normal, é de 500mg, via oral, a cada 24 horas, dependendo da condição a ser tratada.