Benefícios da música para a saúde que todo mundo precisa conhecer:

benefícios da música para a saúde

por

São incontáveis os benefícios da música para a saúde, e neste artigo nós te contamos um pouquinho mais sobre como você pode melhorar a sua!

Qual relação existe entre música e saúde? Muitas pessoas não fazem ideia, mas os benefícios da música para a saúde são enormes. E em diversos sentidos. 

Não importa o gênero musical, ouvir música é considerada uma das melhores opções para lidar com emoções e, até mesmo, controlá-las quando uma pessoa está com dificuldades de expressar ou comunicar aquilo que está sentindo ou pensando. 

A música para a saúde funciona como um verdadeiro “remédio”, acalmando, relaxando e, acredite: aliviando dores, melhorando a memória e sendo um grande estimulador de atividades físicas. 

Os benefícios da música para a saúde

A primeira coisa para entender os benefícios da música para a saúde é saber que ela é capaz de ativar o centro de prazer do cérebro, do mesmo jeito que acontece com o ato sexual ou comer chocolates, por exemplo. 

A música é capaz de estimular a liberação de dopamina e causa a sensação de bem-estar. Não à toa ela vem sendo bastante utilizada por médicos, terapeutas e preparadores físicos como tratamento de diversos problemas. E os resultados têm sido cada vez melhores. 

Como a música pode beneficiar a saúde

Induz ao movimento: naturalmente o ser humano nasce com ritmos, por isso, a música ajuda tanto durante as atividades físicas, por exemplo. 

Ameniza dores: quando uma pessoa começa a cantar ela está distraindo o seu foco da dor para a música, assim muda a sua atenção do problema para um ato paliativo.

Promove autoconhecimento: quando uma pessoa escuta música ela passa a viajar por mundos desconhecidos e começa a descobrir novas sensações, emoções e sentimentos próprios. 

Melhora a comunicação: a música é uma forma alternativa de organizar ideias, porque têm tempos e cadências diferentes da fala. 

Cria vínculos: um bom exemplo é quando uma mãe canta para o filho, nesse processo o bebê consegue memorizar a voz da mãe e começa a criar vínculos. 

Acalma: é uma excelente forma de relaxar, escutar música ajuda a combater o estresse, não à toa motoristas tendem a se manterem mais calmos quando escutam música. 

Fortalece a memória: porque estimula novos caminhos e conexões no cérebro. 

Diminui os sintomas da depressão: alguns estudos mostraram que músicas de meditação e relaxamento atuam diretamente nos sintomas da depressão. Pacientes que foram submetidos a sessões diárias de musicoterapia apresentaram um quadro de 25% a mais de melhora quando comparados aos pacientes que não tiveram contato com a música. 

De acordo com a enfermeira Eliseth Leão, pesquisadora do Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, em entrevista à Veja Saúde, “regiões responsáveis por atividade motora, memória, linguagem e sentimentos são recrutadas para interpretar os estímulos sonoros”. 

“Elas também são capazes de reduzir o nível de estresse durante um procedimento cirúrgico, baixam a pressão arterial e a frequência cardíaca e até aceleram a recuperação após uma sessão de exercícios físicos”, afirma o fisiologista Vitor Engrácia Valenti, da Universidade Estadual Paulista, também em entrevista à revista Veja Saúde

Os benefícios da musicoterapia

A musicoterapia é uma combinação entre arte e saúde a fim de melhorar a comunicação, expressão e aprendizado. Além de facilitar a organização e forma de relacionamento entre profissional da saúde e paciente. 

Pode ser utilizado em qualquer área que haja demanda, seja promovendo saúde, reabilitando ou atuando como medida de prevenção ou simplesmente para melhorar a qualidade de vida. 

De acordo com Federação Mundial de Musicoterapia, “a musicoterapia objetiva desenvolver potenciais e restabelecer as funções do indivíduo para que ele/ela possa alcançar uma melhor integração intra e interpessoal e, consequentemente, uma melhor qualidade de vida”.

Existem diversos benefícios que podem ser proporcionados pela musicoterapia, entre eles encontramos: melhoria nas frequências cardíaca e respiratória. No âmbito dos transtornos neurológicos, foi apenas a partir da década de 1980 que experimentos começaram a ser realizados, desde então, diversos estudos na área vêm sido desenvolvidos, levando em conta diversas patologias. Algumas delas são: AVC, derrames, amnésia e afasia. 

O Transtorno do Espectro Autista, é um transtorno que causa problemas no desenvolvimento da linguagem, nos processos de comunicação, na interação e no comportamento social das crianças.

Crianças com autismo podem se beneficiar bastante da musicoterapia, a utilização de instrumentos pode servir como uma importante ferramenta para incentivar a comunicação e a auto expressão, trazendo qualidade de vida para o autista. 

A musicoterapia comunitária ou social também é bastante utilizada na integração da vida social de diversos indivíduos, já que estimula o potencial criativo e a capacidade comunicativa, mobilizando aspectos psicológicos, biológicos e culturais. 

Se você gostou desse conteúdo, confira o nosso blog para mais dicas de saúde! Aproveite para seguir a Geolab no Instagram e ficar por dentro das principais novidades do mercado farmacêutico.




Compartilhe: